Manual do Aluno

capa

C E P R O M E C

CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E EMPRESARIAL DE CURITIBA LTDA.

 

ESTRUTURA ADMINISTRATIVA

 

DIRETOR GERAL

Prof.Dr.Alaércio Aparecido de Oliveira

 

DIRETORA FINANCEIRA

Prof.ªDr.ª Teresinha Britto de Oliveira

 

COORDENAÇÃO TÉCNICA PEDAGÓGICA

Prof.ªDiniseMotoeHorie

 

SECRETARIA GERAL

Prof.ª Fernanda Munhoz

 

INTRODUÇÃO

Seja Bem-Vindo! A partir de agora, você faz parte do grupo de alunos do Centro de Educação Profissional e Empresarial de Curitiba – CEPROMEC. Para nós é um motivo de muita alegria acolhê-lo como aluno. Neste manual, colocamos as informações que irão ajudá-lo a conhecer e a integrar-se mais rapidamente com o CEPROMEC e com o curso escolhido. Lendo-você conhecerá um pouco do curso, dos direitos e deveres do aluno e todas as informações necessárias de como deverá conduzir-se para conquistar a titulação do respectivo curso escolhido. Este manual deve ser lido por alunos e seus responsáveis. Além disso, os responsáveis deverão assinar um documento, fornecido pelo CEPROMEC, afirmando que estão cientes do teor deste manual.

 

I – HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO

O Centro de Educação Profissional e Empresarial de Curitiba, denominado CEPROMEC, fundado oficialmente em 25 de junho de 2002, na RuaLamenha Lins, 1130, Bairro Rebouças, nesta Capital.

 

II – MISSÃO

Princípios de competência, responsabilidade social e atuação no mundo do trabalho com visão holística humanizada de sua formação.

 

III – PRINCÍPIOS NORTEADORES

De acordo com a filosofia orientadora das ações do CEPROMEC, a escola é considerada como um espaço público de formação histórico-crítica integrada à formação técnico-científica, portanto, tem como princípios norteadores[1]:

  1. Compromisso com a justiça social, equidade, cidadania, ética, preservação do meio ambiente, transparência e gestão democrática;
  2. verticalização do ensino e sua integração com a pesquisa e a extensão;

III. eficácia nas respostas de formação profissional, difusão do conhecimento científicoe tecnológico e suporte aos arranjos produtivos locais, sociais e culturais;

  1. inclusão de pessoas com deficiências e necessidades educacionais especiais;
  2. natureza pública e gratuita do ensino, sob a responsabilidade da União.

 

Dos princípios norteadores, emergem como valores:

  • A manutenção permanente da educação que faz a diferença, laica e de qualidade;
  • A defesa da autonomia institucional;
  • Gestão democrática, com o pensamento linkadoas exigências do mercado de trabalho;
  • Permanente sincronia com as necessidades da sociedade a serviço do desenvolvimento humano;
  • Severa observância dos valores éticos, morais e humanistas;
  • Respeito à pluralidade social de gênero, etnia, ideias, opções, sem qualquer restrição;
  • Compromisso com o bem público, sua administração e função na sociedade;
  • Compromisso com o ser humano e com processos de sua valorização;IV – OBJETIVOSOferecer serviços educacionais em função das necessidades e características de desenvolvimento e aprendizagem profissionalizantes, de nível médio, de forma subsequente, além de cursos especiais.Específicos:
  •  
  • Geral:
  •  
  • A formação técnico-profissionalizante, de nível médio de forma subsequente dos profissionais, para os exercícios das profissões, atuando no desenvolvimento das habilidades e competências do educando, no preparo para o exercício consciente da cidadania, e na qualificação para o mundo do trabalho;
  • Servir de campo de instrução para estudantes nas diversas áreas multiprofissionais e outras funções;
  • Proporcionar educação, orientação e preparação dos indivíduos, através de multimeios, àpesquisa e investigação científica;
  • Extrair os melhores resultados para a Instituição, através da auto sustentação financeira usando para isso métodos e gestões avançadas;
  • Fomentar a pesquisa o corpo docente e discente à publicação periódica eletrônica:http://www.cepromec.com.br/revistacepromec.html, regularmente inscrita no ISSN 2316-624X, na Revista CEPROMEC.

 

V- MATRÍCULA

É o ato formal pelo qual ocorre a vinculação acadêmica do cidadão à Instituição de Ensino, observados os procedimentos específicos e os prazos estabelecidos em Calendário Acadêmico.

Estão aptos a realizar a matrícula:

I- o candidato com idade superior a 17 anos;

II- o estudante do CEPROMEC, regularmente matriculado no período imediatamente anterior, desde que não haja impedimento legal;

III- o estudante que a trancou e que esteja dentro do prazo para integralização do curso, de acordo com a legislação vigente, as normas desta Instituição e o disposto no Plano de Curso;

IV- o requerente que obteve aprovação em seu pedido de transferência interna ou externa;

IV- o requerente que obteve aprovação em seu pedido de matrícula para portadores de diploma ou certificado de qualificação profissional técnica de nível médio;

V- o requerente que obteve sua reintegração no curso aprovada pelo Conselho de Curso;

VI- os estudantes ingressantespor meio de convênio, intercâmbio ou acordo cultural;

VII- os estudantes transferidos ex-offício.

VIII- os estudantes que estiverem sem débito com a Biblioteca, e o setor financeiro.

 

Documentos necessários para a matrícula

 

  • Documento de Identidade;
  • CPF;
  • Certificado de Conclusão do Ensino Médio acompanhado do Histórico Escolar (no caso de alunos que estejam cursando concomitantemente esse documento deverá ser apresentado antes da conclusão do curso, sob a pena de não ser emitido Certificado/ Diploma);
  • Certidão de Nascimento;
  • 02 (duas) fotos 3×4;
  • Título de eleitor (para maiores de 18 anos);
  • Comprovante de quitação militar (para alunos do sexo masculino maiores de 18 anos)
  • Carteira de vacinação (Antitetânica e Hepatite B).

 

VI- SERVIÇOS OFERECIDOS

 

1.Secretaria

A Secretaria é o órgão administrativo encarregado da execução dos trabalhos pertinentes à escrituração, guarda, sigilo, conservação, organização,recebimento e encaminhamento de correspondências e, ao arquivamento no Estabelecimento de Ensino.

Documentos expedidos pela secretaria:

    • Declaração de escolaridades (para alunos que se encontram com toda a documentação em ordem).
    • Histórico Escolar ou Certificado/Diploma.
    • 2ª via do Histórico Escolar.
    • 2ª via do Certificado ou Diploma.
    • Solicitação de avaliação substitutiva.
    • Declarações e ofícios escolares diversas.
    • Consulte na secretaria prazos para entrega e custos.
    • Horário de Funcionamento: de segunda a sexta, das 08h00 às 22h30. Aos sábados somente no caso de oferta de aulas/ cursos.
  1. Setor Financeiro

Responsável por todos os assuntos relacionados a mensalidades, semestralidades e anuidades etc.

  • Negociação de mensalidades ematraso.
  • Recebimentos de taxas escolares, pagas até o dia 10 de cada mês, após a data do vencimento, será cobrado o valor normal da mensalidade com acréscimo de 2 % mais juros moratórios ao dia no valor de 0,1 %, conforme a Lei 4594 do sistema financeiro nacional.
  • Emissãoderecibosparareembolso(empresa/aluno),entreoutros.
  • Emissão de 2ª via do boletobancário.
  • Horário de Funcionamento: de segunda a sexta, das 14h30 às 22h30.
  1. Biblioteca

Com grande acervo de livros, periódicos, DVD, CD-ROM e outros materiais informativos, a Biblioteca está à disposição do corpo docente, discente e administrativo para consultas, empréstimos, orientações de leituras epesquisas

Os usuários devem obedecer às instruções gerais e avisos afixados nas salas de leitura e próximos às mesas. Não é permitido fumar, lanchar nem perturbar o silêncio na área comum da Biblioteca. A renovação do empréstimo de livros exige a apresentação da obra e só é concedida se a mesma não estiver reservada por outro usuário.

O prazo de reserva é de 24 horas a partir da data em que for comunicada a disponibilidade do livro ao interessado. O atendimento aos pedidos de reservas é realizado por ordem cronológica. A não observância dos prazos de empréstimos acarretará a aplicação de sanções. No caso de perdas e/oudanos, o usuário responderá, perante a Biblioteca, com a reposição da publicação ou do bem danificado e pagamento de eventuais despesas inerentes à sua substituição.

A inadimplência com a Biblioteca impedirá o estudante de efetuar nova matrícula.

O desligamento do usuário da biblioteca se fará nos seguintes termos: conclusão do curso; trancamento da matrícula; abandono de curso; transferência para outra instituição de ensino.

Nos empréstimos, são considerados os seguintes prazos:

Categoria Livros Prazos
Discente e Docente 3 livros 5 dias
Funcionários 2 livros 3 dias

Obs.: Não será permitido o empréstimo de periódicos (jornais, revistas e similares); multimídias; obras de referências (enciclopédias, dicionários e outras); e obras raras.

Horário de Funcionamento: de segunda a sexta, das 08h00 às 22h00.

 

 

 

  1. Laboratório de Informática

Os Laboratórios de Informática destinam-se às aulas teóricas e atividades práticas das disciplinas, podendo ser usados para estudo, elaboração de trabalhos acadêmicos e pesquisas via Internet, sob a supervisão de um professor.

Atenção:nãohavendocumprimentodosprazosdedevolução,oalunoficarásujeitoàsançõesconforme regulamento da biblioteca.

Horário de Funcionamento: de segunda a sexta, das 08h00 às 19h00.

 

  1. Política de Assistência para o mercado de trabalho

Aos alunos regularmente matriculados, será oferecido oportunidade de encaminhamento para o mercado de trabalho, de acordo com as vagas em aberto oferecido por parceiros. Desde que os aluno do Técnico em Enfermagem tenha concluído no mínimo o primeiro estágio, de acordo com o perfil exigido.

 

VII – HORÁRIO DAS AULAS

 

MANHÃ   NOITE
1ª aula 08h00min – 08h50min   1ª aula 19h00min – 19h50min
2ª aula 08h50min – 09h40min   2ª aula 19h50min – 20h40min
INTERVALO 09h40min – 10h00min   INTERVALO 20h40min – 21h00min
3ª aula 10h00min – 10h50min   3ª aula 21h00min – 21h50min
4ª aula 10h50min – 11h40min   4ª aula 21h50min – 22h40min

 

A tolerância para atrasos é de até 15 minutos para o primeiro horário de aulas. O aluno que chegar após 15minutosapós o início da aula (1º horário), receberá falta e poderá entrar na sala de aula, somentepara a 2ª aula.

Entradas com atraso ou Saídas antecipadas serão consideradas ausências/ faltas, conforme os períodos relacionados às aulas.

Os horários de 2ª chamada, reposição de aulas, aulas extras aulas práticas e recuperação paralela serão programados, previamente, entre professores, alunos e a Diretoria. Eventualmente poderão ser agendadas aulas aos sábados.

 

VIII –ORGANIZAÇÃO DA VIDA ESCOLAR DOS CURSOSTÉCNICOS:

 

VIII –ORGANIZAÇÃO DA VIDA ESCOLAR DOS CURSOSTÉCNICOS

 

Transferências

As transferências são expedidas quando solicitadas pelo aluno ou, se menor de idade, por seu pai ou responsável, na Secretaria Escolar. São recebidas a qualquer época, desde que atendidas às seguintes condições:

I – existênciade vaga;

II – a análise do histórico escolar deve indicar que o perfil de conclusão do profissional é compatível com o do CEPROMEC.

 

Trancamento de Matrícula

Pode ser concedido o trancamento de matrícula, por meio de requerimento do aluno, solicitado na Secretaria,devidamenteinstruído,comaprovaquejustifiqueomotivoquedeterminaotrancamento.

O trancamento de matrícula é concedido, após a conclusão do primeiro módulo, uma única vez no curso, por período máximo de um semestre letivo, vencido o período de concessão do trancamento de matrícula, o aluno deverá retornar às aulas, cursando os componentes curriculares do módulo em que se encontrava matriculadona época do trancamento, desde que haja compatibilidade entre o currículo a ser cursado pelo aluno e a oferta do curso e respectivos componentes curriculares do CEPROMEC. O aluno que não retornar às aulas, vencido o período de concessão do trancamento, será considerado desistente e perderá o direito de retorno e de nova matrícula em cursos técnicos mantidos peloCEPROMEC.

Os alunos que decidirem trancar sua matrícula deverão comunicar à escola através do requerimento e carta anexa explicativa dos motivos em duas vias, com 30 dias de antecedência. O trancamento implica no cancelamento do Contrato e consequente pagamento de matrícula por ocasião do retorno à Escola, ressaltando que o valor de mensalidade aplicado por ocasião do retorno será correspondente ao aplicado à turma que o aluno irá frequentar. A não comunicação implicará no pagamento da mensalidade do mês a vencer.

Os alunos que efetuarem o trancamento de matrícula em qualquer módulo do curso, incidirão no pagamento das parcelas vincendas, conforme o pacto contratual.

            Promoção e Retenção

 

É considerado promovido para o módulo subsequente ou concluinte de curso: o aluno que obtiver ao final do Módulo e comprovado pelo Conselho de Módulo, aproveitamento suficiente (nota mínima 7,0), em todos os componentes curriculares e frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária de cada componentecurricular.

É considerado retido no componente curricular: o aluno que obteve frequência inferior a 75% (setenta e cinco por cento) e/ou aproveitamento insuficiente no conceitofinal.

O aluno retido em até dois componentes curriculares deverá realizar Progressão Parcial.

É considerado promovido parcialmente: o aluno com rendimento escolar insatisfatório em até 02 (dois) componentes curriculares e/ou frequência inferior a 75% (setenta e cinco por cento) de cada componente curricular.

É considerado retido nomódulo:o aluno que não obteve desempenho satisfatório, após a realização do Conselho de Módulo, em 3(três ou mais componentes curriculares; e/ou o aluno que obteve frequência inferior a 75% (setenta e cinco por cento) em 03 (três) ou mais componentes curriculares.

 

Progressão Parcial

O aluno em regime de Progressão Parcial é classificado no Módulo subsequente e cursa, concomitantemente, os componentes curriculares em que não obteve êxito no Módulo anterior, desde que haja compatibilidade de horário.

 

Aproveitamento de Estudos

Entende-se por aproveitamento de estudos o processo de reconhecimento de disciplinas, competências ou etapas cursadas com aprovação em cursos ou no Ensino Médio, desde que diretamente relacionados com o perfil profissional de conclusão da respectiva qualificação ou habilitação profissional, cursados em uma habilitação específica ou em outras Instituições credenciadas pelo Ministério da Educação, bem como Instituições Estrangeiras, para a obtenção de habilitação diversa, conforme estabelece o Art. 11 da Resolução CNE/CEB nº 04/99.

Entende-se por aproveitamento de experiências anteriores o processo de reconhecimento de competências adquiridas pelo estudante, no trabalho ou por outros meios informais, mediante um sistema avaliativo do CEPROMEC.

O aproveitamento de estudos e de experiências anteriores é condicionado ao perfil profissional de conclusão pretendido e será feito mediante avaliação a ser realizada por Comissão de Professores, designada pelo professor responsável pela Coordenação Pedagógica, sob orientação do Professor Orientador de Área.

Prazo:O aluno deverá solicitar junto à Secretaria Escolar o aproveitamento de estudos ou experiências anteriores na primeira semana após o início de cada módulo. Enquanto não sair a decisão da Comissão de Professores, o aluno deve frequentar normalmente as aulas do componente curricular no qual requereu o aproveitamento deestudos.

 

AvaliaçãoSubstitutiva

O aluno que não comparecer à avaliação previamente agendada pelo professor deverá requerer na Secretaria Escolar avaliação substitutiva apresentando documento comprobatório da impossibilidade de comparecimento no dia da prova. Este documento será encaminhado ao professor orientador de área e/ou ao Núcleo Pedagógico, que juntamente com o professor do componente curricular decidirão sobre a concessão ou não da nova avaliação.

O requerimento deve ser realizado até 48 (quarenta e oito) horas úteis após o término do prazo de afastamento, com apresentação de comprovação por meio de documentos, nos seguintes casos:

01 Problema de saúde
02 Obrigações com o Serviço Militar
03 Pelo exercício do voto (um dia anterior e um dia posterior à data da eleiçãose coincidentes com a realização da prova)
04 Convocação pelo Poder Judiciário ou pela Justiça Eleitoral
05 Cumprimento extraordinário de horário de trabalho devidamente comprovadoatravés de documento oficial da empresa
06 Viagem, autorizada pela Instituição, para representá-la em atividades desportivas, culturais, de ensino ou pesquisa
07 Acompanhamento de parentes (cônjuge, pai, mãe e filho) em caso de defesa da saúde
08 Falecimento de parente (cônjuge e parentes de primeiro grau), desde que a avaliação se realize num período de até oito dias corridos após a ocorrência.

 

Resultado das avaliações

Ao professor compete divulgar, junto aos seus alunos, o resultado de cada avaliação antes da avaliação seguinte. Todas as notas dos estudantes nas avaliações das unidades didáticas deverão ser registradas no diário de classe.

 

Aprovação

Será considerado aprovado em cada unidade didática do curso o aluno que obtiver a média igual ou superior a 7,0 (sete) em todas as disciplinas ou competências e apresentar frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) do total de horas.

Após cada unidade didática, serão realizadas reuniões do Conselho de Classeobjetivando acompanhar a dinâmica pedagógica, aperfeiçoar o processo de ensino-aprendizagem e avaliar de forma contínua, objetiva e sistemática o Processo Pedagógico.

 

Exercício domiciliar

Conforme o Decreto-Lei 1044/69, entende-se por exercício domiciliar a equivalência de estudos, por ausência às aulas, concedida ao estudante, sendo instruído com laudo médico que comprove uma das situações estabelecidas no Decreto Lei no 1 044/69 e na Lei no 6 202/75.

 

Os requerimentos para trabalhos domiciliares deverão ser protocolados até 10 (dez) dias úteis a contar da data em que se configurou a impossibilidade de frequência às aulas e só serão deferidosquando:

 

A – portadores de afecções congênitas ou adquiridas, infecções, traumatismos ou outras condições mórbidas, conforme disposto no Decreto-Lei Nº1044/69;

B – Gestantes, conforme disposto na Lei Nº6.202/75.

C – Militares Oficiais (Lei 715/69) – deverá anexar ao documento comprobatório ao requerimento e protocolarna SecretariaEscolar até 3(três)diasletivosacontardoúltimodiadoexercíciooumanobra.

 

Procedimentos para solicitação de TrabalhosDomiciliares:

O aluno ou seu representante legal deverá solicitar à Secretaria Escolar o regime de exercícios domiciliares mediante requerimento, devendo ser anexadoaorequerimentooatestadomédicooriginalesemrasuras,contendo:

    1. o período doafastamento;
    2. a especificação acerca da natureza do impedimento doaluno;
    3. o CID (Código Internacional de Doenças), o número do registro do CRM, o carimbo e a assinatura do médico.

A solicitação do regime de exercícios domiciliares somente poderá ser feita quando o afastamento do aluno for superior a 15 (quinze)dias.O aluno ou o seu responsável legal deverá retirar na Secretaria Escolar os exercícios domiciliares, que após serem realizados, deverão ser protocolados na Secretaria Escolar para encaminhamento deavaliação,de acordo com a periodicidade estabelecida pelo professor responsável pelo componente curricular. A data de entrega dos trabalhos deverá ser rigorosamente cumprida peloaluno.

Importante:

Quando em exercícios domiciliares, as ausências do aluno serão compensadas pelas atividades realizadas em âmbito domiciliar, devendo ser anotadas, porém não contabilizadas como faltas ao final do módulo. Os exercícios domiciliares correspondem às atividades e aos conteúdos desenvolvidos durante as aulas regulares. Alunos impedidos de frequentar as aulas, mas não submetidos ao regime de exercícios domiciliares, devem ter suas ausências computadas comofaltas.

 

Compensação deConteúdos

O aluno poderá requerer a compensação de ausência na Secretaria Escolar, quando apresentar motivos justificáveis que impossibilitaram sua presença às aulas e tiver documentoscomprobatórios.

O requerimento será direcionado ao próprio professor do componente, juntamente com documento quecomprove a impossibilidade de frequência escolar. O Professor do componente curricular juntamente com o Professor Orientador de Área e as Coordenações Geral e Pedagógica realizarão o parecer, deferindo ou indeferindo asolicitação.

Todo o trabalho de compensação de ausências constaráde:

  • Uma pesquisa conceitual, com o modelo estipulado pelo professor – exercícios, trabalhos, sínteses, resenhas etc. – que abranja os conteúdos desenvolvidos na ausência do aluno. Com data específicaparaentrega;
  • Uma atividade a ser realizada de forma presencial, abrangendo todo o conteúdo desenvolvido nos trabalhos escritos e será agendada pelo professor com ciência doaluno.

Caso o aluno não cumpra as datas estipuladas, os trabalhos solicitados para compensação de conteúdos não serãoconsiderados.

 

Registro de Desempenho

Trata-se de documento imprescindível para todo o processo pedagógico e administrativo, portanto o professor deverá registrar o desempenho do aluno no decorrer das aulas e conforme da realização das avaliações, recuperação contínua, compensações e conceitosfinais. O Processo de avaliação da aprendizagem deve ser amplo, contínuo, gradual, cumulativo e cooperativo envolvendo todos os aspectos qualitativos e quantitativos da formação do educando, conforme a Lei n.º 9. 394/96.

A avaliação do desempenho acadêmico deverá tomar como referência os parâmetros orientadores de práticas avaliativas qualitativas, a saber:

  1. a) Domínio cognitivo – capacidade de relacionar o novo conhecimento com o conhecimento já adquirido;
  2. b) Cumprimento e qualidade das tarefas – execução de tarefas com requisitos previamente estabelecidos no prazo determinado com propriedade, empenho, iniciativa, disposição e interesse;
  3. c) Capacidade de produzir em equipe – aporte pessoal com disposição, organização, liderança, cooperação e interação na atividade grupal no desenvolvimento de habilidades, hábitos, conhecimentos e valores;

 

  1. d) Autonomia – capacidade de tomar decisões e propor alternativas para solução de problemas, iniciativa e compreensão do seu desenvolvimento.

O desempenho do estudante em cada unidade didática será registrado através de nota, compreendida entre 0,0 (zero) e 10,0 (dez), e resultante de, pelo menos, três instrumentos de avaliação de naturezas diferentes. Ao professor compete divulgar aos seus alunos o resultado de cada avaliação antes da avaliação seguinte.

O registro de desempenho é feito em nota utilizando-se números decimais de 0 a 10. Sendo que a nota mínima é7,0.

O estudante terá direito à revisão da avaliação, através de requerimento à Coordenação de Curso, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas após a divulgação do resultado.

Será vetado o direito de realizar as avaliações ao estudante que, sem justificativa legal, tiver frequência inferior a 75% no período letivo (unidade/semestre/módulo) em que os conteúdos a serem avaliados forem trabalhados.

 

Registro das Frequências e Ausências no Diário deClasse

Cada aula implica no registro de uma presença ou umaausência.

Nos Cursos Técnicos e Cursos de Qualificação Profissional acontecem 4 (quatro) aulas diárias. O preenchimento jamais será realizado a lápis ea ausência do aluno não será registrada com pontinhos.

 

Recuperação da Aprendizagem

O estudante que obtiver nota que represente menos de 70% do valor das atividades avaliativas terá direito à recuperação correspondente ao(s) componente(s) curricular (es) avaliado(s), durante o processo de aprendizagem. Os estudos de recuperação da aprendizagem serão realizados durante o processo pedagógico, incluindo o horário de atendimento ao estudante definido no horário do professor em turno oposto ao das aulas.

Não terá direito à avaliação de recuperação da aprendizagem o estudante que não realizou as atividades avaliativas regulares ou que tenha frequência inferior a 75% no período em que os conteúdos avaliados forem trabalhados.

 

Certificados eDiplomas

Aos concluintes dos cursos Técnicos será conferido diploma deTécnico.

Aos concluintes dos cursos de Qualificação Profissional é conferidoCertificado.

Os Diplomas e certificados são acompanhados do histórico escolar e serão expedidos após a conclusão do Estágio Profissional Supervisionado, a entrega dos devidos Relatórios e/ou do Projeto Experimental quando esses documentos forem exigidos na composiçãocurricular.

 

Mudança de Turno

As solicitações para a mudança de turno serão realizadas conforme análise da Coordenação de curso. A mudança fica condiciona à existência de vaga na turma pleiteada e à comprovação de uma das situações indicadas abaixo:

  1. a) relação de emprego;
  2. b) relação de estágio curricular;
  3. c) matrícula em curso de educação formal em outras instituições de ensino.
  4. d) ter as mensalidades quitadas.

Havendo mais pedidos do que vagas disponíveis, a solicitação será concedida de acordo com a ordem de prioridade estabelecida nos itens anteriores e por meio da análise do histórico escolar dos requerentes.

Somente serão concedidos pedidos de mudança de turno para estudantes que tiverem cursado, com aprovação, pelo menos uma etapa do curso no qual está matriculado.

 

Estágios Supervisionados

Os estágios serão realizados em Instituições Públicas ou Empresas privadas, em regime de plantões diurnos nos turnos matutino e vespertino. Sendo que o mesmo poderá também ser realizado também nos finais de semana e em plantões noturnos, conforme especificidade das atividades do setor, para maior aproveitamento dos alunos. Os horários serão comunicados pela coordenação de Estágio. As disciplinas teóricas são pré-requisitos para os estágios que as sucedem.

 

Uniforme para Estágios

No estágio, é obrigatório o uso do crachá e do uniforme adequado conforme o curso, sendo que, com a logomarca do Estabelecimento de Ensino para os cursos da área da saúde, e especialização em Enfermagem do Trabalho, o uniforme é calça comprida ou saia abaixo do joelho na cor branca, blusa branca sem decote e/ou alça, jaleco branco da Instituição e sapato branco fechado.

 

Reintegração do Curso

O estudante desvinculado da Instituição terá direito à reintegração ao curso desde que justificadas as causas que provocaram sua desvinculação. As solicitações para reintegração ao curso serão realizadas em prazo estabelecido.

 

Jaleco

O corpo discente dos cursos técnicos somente terá acesso às aulas práticas dos laboratórios da instituição para desenvolvimento das atividades práticas acadêmicas curriculares se devidamente uniformizado com uso do jaleco institucional.

 

IX –NORMAS DE GESTÃO ECONVIVÊNCIA

 

Direitos e Deveres do Aluno

Direitos:

I – Ser respeitado em sua individualidade;

II – Receber a educação e o ensino que constituem as finalidades e objetivo do CEPROMEC;

III – Ter assegurados todos os direitos como pessoa humana;

IV – Ser considerado e valorizado na sua individualidade sem comparações ou preferências;

V – Ser orientados em suas dificuldades;

VI – Usufruír de ambiente que possibilite o aprendizado;

VII – Poder desenvolver sua criatividade;

VIII – Poder ser ouvido em suas queixas ou reclamações;

IX – Ser atendido em suas dificuldades de aprendizado;

X – Ter seus trabalhos devidamente avaliados e comentados;

XI – Participar das atividades de recuperação, adaptação pedagógica e / ou compensação de ausências programadas pela equipe escolar, em função de suas necessidades específicas;

XII – Impetrar recursos ou pedidos de reconsideração contra os resultados da avaliação final.

 

Deveres:

I – Participar de todos os trabalhos escolares, frequentando pontualmente as aulas;

II – Acatar a autoridade do Diretor, professores e demais funcionários do Estabelecimento de Ensino;

III – Tratar os colegas com cordialidade e respeito;

IV – Colaborar com a Direção do Estabelecimento de Ensino na conservação do prédio, instalações, mobiliário escolar e todo o material coletivo.

V – Providenciar e dispor de todo o material solicitado e necessário ao desenvolvimento das atividades escolares;

VI – Cumprir as determinações dos professores supervisores nos seus respectivos estágios;

VII – Participar de todas as atividades em que for escalado durante o estágio;

VIII – Cooperar na manutenção da higiene e na conservação das instalações das instituições conveniadas para campo de estágio e seus regulamentos internos

IX – Apresentar-se uniformizado devidamente identificados com logomarca institucional, para as aulas de laboratório prático, visitas técnicas e aos estágios obrigatórios, de acordo com as normas estabelecidas pelo CEPROMEC;

X – Entregar, no prazo previsto mediante Protocolo / Requerimento, todo e qualquer material ou documento (sendo que o Relatório de Estágio deverá ser entregue pelo aluno na Secretaria ao final de cada Estágio para verificação de assinaturas e contagem de carga horária de estágios;

XI – Ressarcir os prejuízos referentes a danos materiais causados ao CEPROMEC, colegas, professores e funcionários;

XII – Protocolar ATESTADOS MÉDICOS por doenças infectocontagiosas e ATESTADO DE ÓBITOS ou ENLACE MATRIMONIAL afim de justificar sua ausência às aulas ou mesmo atrasos;

XIII – Cumprir as disposições deste Regimento Escolar no que lhe couber.

XIV – Realizar a entrega de pré-projetos de pesquisas, conforme datas pré-estabelecidas de orientações a ser fixado em Edital, como pré-requisito para aprovação do estágio curricular obrigatório, sob pena de realizar a disciplina pendente, e posteriormente entregar em tempo hábil, mediante protocolo na Secretaria, o trabalho de conclusão de curso (TCC) ou artigo submetido à Banca examinadora e, se aprovado, preferencialmente, a confecção definitiva em capa dura,de cor azul e letras douradas, obedecidos os critérios estabelecidos pelas normas da ABNT.

 

X – REGIME DISCIPLINAR

Ao entrar na sala de aula, o estudante deve desligar os aparelhos celulares ou colocá-los no modo silencioso/vibratório. Não é permitida a circulação de pessoas não autorizadas, que não apresentemvínculo institucional ou matriculados dentro do turno de aulas,nas dependências internas do CEPROMEC.

Aos alunos que descumprirem os deveres ou cometerem transgressões, aplicar-se-ão as seguintes sanções, esgotadas todas as medidas de conciliação:

I – Advertência e repreensão verbal;

II – Advertência, repreensão e comunicação de ocorrência, por escrito, aos pais;

 

A aplicação de sanções será individualizada e proporcional à gravidade da infração, sendo do Diretor a responsabilidade pela apuração dos fatos e aplicação de sanções.

Será garantido ao aluno, por seu intermédio, ou pai, ou responsável, recurso à sanção aplicada, junto à Direção do CEPROMEC bem como amplo direito de defesa.

Aos alunos da prestação de serviço militar obrigatório que transgredirem o disposto nos termos do presente, para todo e qualquer efeito legal, seja de ordem disciplinar, financeira e/ou pedagógica, após esgotadas as possibilidades administrativas, serão adotadas, por via de regra, a aplicabilidade da Lei nº 6.880, de 9 de Dezembro de 1980 e subsidiariamente os demais recursos legais vigentes, facultando a qualquer tempo ao Estabelecimento de Ensino, a realizar a comunicação formal, através de correspondência direcionada ao superior hierárquico do órgão pelo qual esteja vinculado.

A reincidência do não-cumprimento dos deveres, com advertência ou suspensão das aulas, também poderá acarretar no impedimento de renovação de matrícula.

 

 

XI – DEPREDAÇÃO DO PATRIMÔNIO

 

O CEPROMEC realizará uma campanha para prevenir a depredação do prédio e a destruição dos equipamentos e mobiliário disponibilizado para uso dos estudantes por meio de ações de cunho educativo e de sensibilização. Qualquer dano patrimonial causado por alunos ao Estabelecimento de Ensino ou a terceiros, dentro do Estabelecimento de Ensino, será objeto de reparação pecuniária, independentemente das sanções disciplinares.

 

 

XII – DA EXPEDIÇÃO DE DIPLOMAS E CERTIFICADOS

 

A conclusão do Curso Técnico habilitará ao discente receber o diploma de educação profissional no nível técnico, com habilitação de Curso Técnico correspondente, observada a legislação em vigor e autorização específica dos órgãos competentes.

A emissão de diploma da educação profissional de nível técnico requer a conclusão do ensino médio e do estágio curricular obrigatório supervisionado, conforme legislação própria, bem como a entrega e aprovação, no prazo estipulado, perante a banca ou avaliadores designados para este fim, da Monografia de conclusão do curso.